Legaltechs e o departamento jurídico do futuro

3 minutos para leitura

As legaltechs são empresas que implementam um viés de tecnologia e inovação no campo do Direito. Muitas das informações que disponibilizam, contribuem para a tomada de decisões com base em fatos e dados.

Essa migração da vida analógica para a digital que operam no Poder Judiciário contribui para o levantamento de informações e estatísticas que podem ser facilmente usadas nas estratégias jurídicas. Assim, a tecnologia e, por consequência, as legaltechs, colaboram para a entrega de eficiência e celeridade para a sociedade.

“As legaltechs ajudam o Judiciário e o país a funcionar melhor”, afirma o diretor de inovação da Softplan, Marcos Florão, no vídeo a seguir. Grande parte das soluções são elaboradas com a participação de profissionais de Direito, ou seja, que detêm conhecimento jurídico. Até porque a tecnologia, por si só, não é solução suficiente. Portanto, é apenas um auxílio para determinada situação.

Por exemplo, quanto à dúvida de fazer um acordo ou seguir com o processo. Enquanto não haviam dados para serem analisados, essa decisão era intuitiva. Agora, essa pergunta pode ser norteada pelas pesquisas que podem ser feitas em uma ferramenta de legal analytics. Conforme os dados levantados, então, a decisão de entrar em acordo ou prosseguir com o litígio pode ser tomada com maior certeza. Marcos Florão também dá esse e outros exemplos no último vídeo da Websérie Tecnologia, Gestão e Desafios na Advocacia. Assista:

Impacto das legaltechs na advocacia

Como é possível perceber, embora o tópico principal do vídeo de encerramento da Websérie sejam as legaltechs, Florão aproveita a oportunidade para expor qual acredita que será o impacto da tecnologia para as profissões. “A vida se torna cada vez mais digital. Isso impacta em vários aspectos do cotidiano”, afirma. Esse impacto, porém, não é visto por ele como negativo. Pelo contrário. O cenário é otimista, na visão de Marcos Florão.

Ainda mais considerando que o futuro dependerá muito da tecnologia, além de como os dados vão ser disponibilizados. Embora, seja difícil prever o estado da tecnologia aplicada ao Direito em cinco ou 10 anos, é nítido que o princípio do futuro da tecnologia será usar as melhores ferramentas de pesquisa para a  prestação de serviços advocatícios.

O diretor de inovação pondera que muitas questões novas surgem com frequência, em função da tecnologia. Um exemplo bastante atual é o das relações de trabalho.

Essa transformação exige, portanto, cada vez mais preparo de quem atua no mercado jurídico. Principalmente, o entendimento de que profissionais de advocacia não podem ir contra a tecnologia. É necessário que informem-se e utilizem as soluções capazes de contribuir para a melhor aplicação do Direito.

Há 1,5 bilhão de pessoas no mundo que não consegue resolver seus problemas jurídicos,segundo informações do site JusBrasil. Grande parte desse justice gap existe em função do(a):

  • acesso limitado à informação e educação jurídica;
  • acesso limitado aos prestadores de serviços jurídicos;
  • existência de serviços jurídicos ineficientes e caros;
  • sistema judiciário ineficiente, caro e burocrático;
  • ambiente jurídico pouco acurado, pouco científico.

A união da força da tecnologia, combinada com a humana, permite a profissionais de advocacia olhar para os novos tempos e planejar-se estrategicamente para ser agente de transformação desse cenário. Com o suporte das ferramentas tecnológicas conseguirão isso mais fácil, pois a tecnologia pressupõe maior eficiência.

Com a advocacia mais produtiva, mais eficiente, há maior espaço para observar as novas possibilidades e pensar inteligente e estrategicamente. Pode-se formar uma nova mentalidade, já que a tecnologia é uma realidade.

Há diversas empresas e startups que transferem tecnologia e inovação para os serviços jurídicos contarem com redes de profissionais, automação de documentos, analytics e jurimetria, realização de acordos online, pesquisa de documentos, software de gestão de departamentos jurídicos, etc. Essas são todas soluções que dão suporte à inteligência dos negócios jurídicos e que geram diferencial competitivo para aqueles que as utilizam.

Uma das tecnologias que contribui para o ganho de tempo na advocacia é o PeticionaMais, uma solução de peticionamento unificado que não só envia petições em um minuto como contribui para aumentar a produtividade das equipes jurídicas, que deixam de se preocupar com:

  • configurações complexas com Shodô, Java e atualizações de navegador para poder realizar o protocolo das petições;
  • a importação manual dos dados cadastrais dos processos;
  • a maneira de enviar as petições iniciais e intermediárias;
  • a adequação dos documentos de acordo com as exigências de cada Tribunal.

O PeticionaMais é compatível com a maioria dos Tribunais: Justiça do Trabalho, Justiça Federal e Justiça Estadual. No Guia do Peticionar eletrônico unificado há mais informações sobre a solução. Faça o download e evolua sua forma de peticionar.



Deixe uma resposta